Uma dúvida que não quer calar é a de como os empreendedores que trabalham com serviços podem fazer a formação de preços ideal. Quando estamos falando em diferentes produtos e serviços, com “tamanhos” e atividades variáveis de cliente para cliente, fica ainda mais difícil mensurar. É justamente a característica da intangibilidade do serviço que complica, e muito, essa tarefa.

A precificação também depende do grau de competitividade da empresa e do diferencial oferecido, mas a lógica mais comum da formação de preço é baseada na dupla homem/hora, na qual se calcula o custo da prestação de serviço pensando nas horas gastas para aquela atividade em particular e, a partir disso, coloca a margem de lucro. Mas o problema deste modelo está exatamente na falta de percepção de valor.

Afinal, qual o real benefício do seu serviço? Essa deve ser a pergunta mais importante para que o empreendedor tente precificar o trabalho. É claro que, novamente, isso pode variar a cada contrato, mas é fundamental avaliar quem é o cliente e o que tem valor pra ele. E não esquecer de responder, também, qual benefício o contratante vai ter com o resultado do trabalho.

O que pode ser muito útil nesse processo é uma ferramenta incrível chamada TraktoPro (http://traktopro.com/), que ajuda a montar uma proposta de orçamento em apenas alguns cliques. Com este modelo preenchido, fica mais fácil visualizar o valor proposto pela empresa e entender se pode ou não cobrar mais pelo serviço oferecido. Outra dica importante é pesquisar a fundo o mercado e perceber os preços praticados. Mas o empreendedor não pode esquecer que serviço envolve confiança, e não apenas propaganda.

Comment