Criador do site Namoro Fake, o empreendedor Flavio Estevam veio de Campo Grande (MS) a Maringá para palestrar sobre seu case de sucesso, que em apenas 1 ano e meio na atividade já possui extensões em três países e mais de 16 mil atendimentos no Brasil. De passagem pelo Espaço Office para adiantar os jobs, ele conta para o Office Blog sobre a criação do serviço de relacionamentos falsos e a sua relação com o universo digital. 

De onde surgiu a ideia do Namoro Fake?
Conversando com um amigo em um dia qualquer, ele me disse que estava com problemas no relacionamento e que a namorada dele estava prestes a terminar. Aí o meu feeling de empreendedor se manifestou e eu fui resolver essa questão, baseado no que eu já vinha observando de novos comportamentos na internet. Tive a ideia do site e uma garota começou a curtir e comentar os posts desse meu amigo. No fim das contas, a namorada dele se sentiu ameaçada e, em duas horas, eles voltaram a ter um “relacionamento sério”. Virei pra ele e perguntei “cara, você pagaria por esse serviço?”. Ele disse que sim e em menos de cinco dias nascia o Namoro Fake.

E como é a dinâmica e a interação dos usuários do site?
A ideia inicial era a de alugar uma pessoa a fim de provocar ciúmes em outra, mas hoje o serviço é usado para vários motivos: dar um fora, para a pessoa ser elogiada e se sentir popular, vender a própria imagem e, saindo um pouco do campo amoroso, muitos profissionais contratam para falar bem do próprio trabalho. Na primeira semana do Namoro Fake no ar, tivemos oito contratações e contamos com 7 mil candidatos para atuarem no Facebook. Nunca tivemos nenhum problema com essa questão de exposição, porque sempre as informações são mantidas em sigilo.

Em menos de 2 anos, o Namoro Fake já conseguiu se estabelecer como uma referência de site de “namoros falsos”. Como foi a sua trajetória até chegar onde está e, estando sempre nesse meio, como você observa essa galera nova que está na luta?  
Eu me considero empreendedor desde criança. Atuo nesse mundo da internet há 7 anos, ou seja, venho errando bastante há 7 anos. Eu tenho uma coisa comigo que eu odeio estudar, mas adoro aprender. Quebrei bastante a cabeça até ter a ideia de criar o Namoro Fake. E convivendo com a base da pirâmide, percebo que há muitos novos empreendedores que querem mudar o mundo e não percebem o quão difícil é dar um grande passo. Algo que sempre reforço é que, para obter sucesso e reconhecimento, o primeiro passo do empresário é oferecer um serviço/produto que o cliente queira comprar, e a partir daí aplicar as ideias de inovação e focar no que você está vendendo.  

Para conhecer mais sobre as atividades do Namoro Fake, acesse http://www.namorofake.com.br/

1 Comment