O movimento já passou da hora de acontecer no Brasil. E você, o que acha?

No começo deste mês três amigos criaram um site para difundir o movimento “Bermuda Sim!”. A ideia é ajudar as pessoas a convencer seus chefes que usar bermuda no trabalho fora dos dias casuais é possível. O site envia a correspondência para o chefe, com argumentos. E a ideia ganhou certa relevância na mídia (1, 2, 3).

E cá entre nós: palmas pros caras. Já passou da hora de certas convenções como esta mudarem.

Ontem mesmo estive no Rio de Janeiro a trabalho. A sensação térmica nas ruas da cidade é uns 10 graus maior do que a temperatura local, que já é alta – cerca de 38 a 40 graus. Quem não tem ar condicionado no carro sofre. Quem não tem ar condicionado na empresa sofre. Quem tem que pegar transporte público sofre. Resumindo, sofrimento generalizado. E tudo por conta da convenção de que temos que usar roupa social no trabalho.

E sim, eu estava de calça jeans. Maldito dress code.

É algo fashion.

Acho que o dress code tem lá seus motivos. É preciso uma diferenciação psicológica nos trajes que usamos, até para separar na nossa cabeça o que é momento de trabalho e o que é momento de lazer. Mas reflita: ainda faz sentido isso no calor em que vivemos no Brasil?

O uso de shorts e bermudas no trabalho não é algo recentemente defendido. “A percepção de que bermudas e shorts são roupas somente casuais está mudando”, diz Colleen Sherin, senior fashion director na Saks Fifth Avenue. E no mundo fashion a bermuda já é sinal de novidade bem aceita, graças a atrizes como Amanda Seyfreid, Natalie Portman e Beyoncé. Gloria Kalil, a famosa autora e consultora de moda também defende essa mudança. ”Faz sentido reivindicar uma roupa mais tropical. Homens usam essas roupas [ternos] porque é uma convenção. Não é lei. Se, quiserem, que criem nova convenção”.

Vale pra todo mundo?
Se possível, sim.

Ainda está no nosso mindset a roupa social, não importa o que aconteça. O site Corporette, que trata de moda no trabalho, fez pesquisa online recente que revelou que 72% das mulheres “nuuuuunca” usariam shorts no trabalho. São questões culturais. Que devem doer nas pernas quando as pessoas saem do escritório na hora do almoço. A mesma Gloria Kalil também ressalta na entrevista pra Folha de S. Paulo: para que o padrão mude, “precisamos que o nosso Steve Jobs se apresente de bermuda”. “Não será um estilista que irá mudar a cabeça convencional dos brasileiros. Homem só obedece ao poder, não obedece às ideias.”

Independente do gênero, trabalhar com calor, ainda mais em um país tropical como o nosso, é um grande desconforto que influencia diretamente nossa produtividade. O Brasil deveria abraçar mais ideias como esta e ter um ambiente de trabalho mais confortável. Claro, nem todos os ambientes seriam adaptáveis rapidamente – bancos e escritórios de advocacia, por exemplo. Mas agências de publicidade, lojas, telemarketing, entre outros, seriam bem fáceis de se adaptar a esse dress code.

E você, o que acha? Bermuda no trabalho, sim ou não?

Aqui no Espaço Office já decidimos, tá apoiado.

Fonte: http://www.movebla.com/2719/bermuda-no-trabalho-sim-e-ja/ (Adaptado)

Comment